11 de janeiro de 2013

11.01.10

E faz hoje 3 anos que me (nos) deixaste por cá.
Recordo-me do dia anterior muito claramente. Foi o dia em que só a família nuclear - filhos e esposa - te visitaram naquele quarto hospitalar de luxo.
Estivemos lá a tarde toda.
Comprei maltesars.
Dividi com o meu irmão.
Dei-te parte do jantar e um compal de pêra bebido por uma palhinha.
Já não falavas, nem te mexias, mas sinceramente pensava que fosse por causa do tratamento.
Saímos com uma paz diferente com um até amanhã realmente sentido.
Foi sentido, mas não aconteceu.

Sim, fazes falta. Mas a vida continua e fiquei com esse calo a moldar-me a personalidade. Não faz mal. Eu sou forte. Apenas devia chorar mais vezes e não o faço.  Não sou uma coitadinha e sei que continuarias a gostar de mim da mesma forma. Uma durona bem disposta.

Um beijinho pai

6 comentários:

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...