27 de setembro de 2012

felicidade mista

Ontem, aqui a Maria foi comprar a sua Scooter. Já magicava este momento há alguns tempos face aos consumos de camelo no deserto da minha viatura de 4 rodas que me escoava à vontade, vontadinha, 250 euros mensais, mais coisa menos coisa.
Vais apanhar chuva Maria?
...Sim, às vezes vai ter que ser.
Vais rapar frio e não conseguir trazer compras no Mini Preço?
... Sim, vou. 
Mas vou poupar em "compras", em gasolina e em tempo perdido. E já tenho o equipamento anti-chuva/frio.

Paciência, mordomias à parte.

Portanto, fui ontem levantar a dita maravilha ao stand.
Portanto, eu já não andava de scooter desde as subidas e descidas na Covilhã.

Fui à Quinta da Nora, andei pelo bairro Norton de Matos, e quando estava já a passar pelo Coimbra Shooping já me sentia a maior lá da freguesia, basicamente tinha sido feita em cima de uma moto.
Vou à Galp e:
- "Se faz favor, era para abastecer." (Estava doida)
- "São 8 euros se faz favor".
Loucura.

Arrisco tudo e vou passar a ponte Europa. Aí vai a Maria em cima da sua viatura de duas rodas em modo turístico profissional. Vai daí vou até à Quinta da Lágrimas, dou lá um giro e até ao Portugal dos Pequenitos. Vai daí sigo para o fórum, já que este vai e vai ser o percurso para o trabalho.

E é quando... na rotunda do viaduto, aquela onde passa a estrada por cima e tem a rotunda para o fórum, aqui a Je apanha areia lateral, trava com o da frente por engano e por parvoíce acelera e vuuuuuuuuuuuummmm. Vai Maria, vai moto, vai tudo espalhado pelo chão.  Numa questão de segundos tinha dois ciclistas (giros, giros), à minha beira a perguntar se estava bem se era preciso uma ambulância. E eu : "Não , não! Ponham-me a mota no descanso por favor que está pesada..." (Pesada em cima da minha perna e pé.)

Moral da história Maria:
- Não te armes com pulgas que és pró na vida motard, porque ainda não és.
- A tua falta de agilidade permitiu que te espalhasses de mota mas, a tua falta de inteligência permitiu que "salvasses" a mota de não se raspar, (muito), raspando-se antes a tua perna e pé, que por acaso está inchado que nem uma meloa e com o qual andas (agora) de bota aberta.
- Não sei se tens noção Maria, mas a qualquer momento podias ser atropelada por um carro. Um um camião cisterna. Ou um amarelo dos Smtuc.
- Deveria ser uma das leis de Murphy que os babes bonitos, normalmente aparecem quando estamos com o cabelo todo desgraçado, com joelho esfolado e cheias de areia em cima estateladas no chão.
- Ponderei ainda não dizer ao mêhóme que aqui a babe se tinha espalhado duas horas depois de ter comprado a mota e de se sentir uma pró. Ponderei porque vai ter com o que gozar para o resto da vida. Mas, as dores que tinha e o subtil risco na lateral da dita não me iam permitir omitir a coisa.
- Espero  não parecer uma atronhada amanhã na loja a trabalhar. Felizmente hoje estou de folga.

E foi isto. Tenho um pé do tamanho de uma meloa e uma moto linda que dói. (Mas o pé dói também)

5 comentários:

  1. xiiiii! que dores... boas viagens! a próxima será melhor**

    ResponderEliminar
  2. Sem, não tenho dúvidas que vais ser muito gozada durante os próximos anos. Acho até que vais querer tanto que isto seja um segredo que até podes ir para a casa dos ditos.

    Mas o importante é que o mal não foi maior, as dores acabam por passar e a experiência vais ganhando :)

    ResponderEliminar
  3. Ai mulher! tu cuida-te!
    Ainda não és o Rossi de Coimbra, mas um dia lá chegas! Mas devagar, para começar, sim?!

    ResponderEliminar
  4. Valha-me deus mulher tu vai com calma que ainda cais ao Mondego :)

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...