3 de agosto de 2012

desgostos olfactivos ...

9.50h da manhã. A caixa Geral de Depósitos Central de Coimbra, abafada e com perto de 20 pessoas à espera de serem atendidas. Tiro uma senha de Empresa e sou o nº1. "Não devo demorar a ser chamada, mas, não vá a porca às couves, tiro a de caixas também. A55.
Passam 10 minutos.
Passam 15 minutos.
Começo a enervar-me. Sabem aqueles nervos de quando ficamos sem ligação à internet? Desses mesmo.

Estou numa ala sozinha, com 4 bancos e com um ecrã em frente. Todas as outras pessoas acumulam-se em cima das caixas. Prefiro ter espaço e mais ar livre e depois dar uma corrida até à ponta.

Qual não é o meu espanto quando, uma senhora que fazia 3 de mim se decide vir sentar ao pé de mim! Nada de mal se o ao pé de mim não fosse mesmo braço a braço colado, com a respiração em cima de mim e, bem, nem vou falar do sovacum que emanava. Sou muito sensível no olfacto!

E pior, não se via andamento NENHUM. Nenhum naquela maldita Caixa. Xiça penico, fui embora, não fui sequer atendida em nenhum dos números. Porra. 

3 comentários:

  1. como te entendo! há poucos dias aconteceu-me o mesmo! desesperei!

    ResponderEliminar
  2. Foi por essas e por outras que mudei de banco, não há pachorra para as eternas esperas na CGD :/

    ResponderEliminar
  3. Blhecccc, ca nojo!
    Detesto pessoas mal cheirosas, por vezes faço cada careta que até posto que as próprias pessoas notam.
    Mas confesso que me faz confusão as visadas não se aperceberem do seu próprio "bedum"!

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...