9 de julho de 2012

não há pachorra. (Eusébio)

imagem retirada daqui.

Não há pachorra para mais notícias acerca do estado de saúde de Eusébio.
Do dia em que se sentiu mal.
Onde viu o jogo.
Que não devia ver o jogo. Que ficou emocionado. 
A que horas comeu. O que comeu.
Quem o visitou.
Fez exames à urina.
Teve alta... etc, etc, etc.
Porra. Sim foi um ícone, mas isto já roça a parvoíce. 
* Atenção, roça a parvoíce jornalística. Um dia o senhor morre e já anda tudo tão farto de ver a imagem dele chapada por tanta banalidade que nem dá conta. É tipo o conto do Pedro e do Lobo.

*pachorra é uma palavra muito castiça não é?

2 comentários:

  1. Um dia, quando se for, cai o carmo e a trindade.

    ResponderEliminar
  2. Quando isso acontecer acho que o país para (está tudo louco).
    Adorei o teu blog
    Beijinho*

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...