3 de janeiro de 2012

...nãO pOsSo cRer...

Pois bem. O meu tio "du France", no Natal, deu-me catrefadas de chocolates, rebuçados e pastilhas. Duas tabletes marcharam logo nessa semana do Natal, e trouxe alguns doces para o escritório para ir adocicando a imaginação. Eu, que sou tão picuinhas com as comidas, que não como nada que tenha mais que dois dias de existência depois de confeccionado, especialmente se levar ovos, natas, e derivados, que gosto de ovos frescos, que o pão, é o do dia ou no máximo dos máximos descongelado (aquando foi posto bem fresquinho e fofo na arca)... Só ao fim de emborcar um saco de rebuçados de mel e dois pacotes de pastilhas Ricola (???) de enfiada, é que me digno a estudar a embalagem, a ver o design das coisas e... a validade. 2010. Ia-me dando uma coisinha má. Sério.

4 comentários:

  1. lool... eu sou muito paranóica com os ovos..
    andes de os usar testo-os num copo de água para ver se estão frescos ou não.
    Não como ovos em restaurantes... e doces ou salgados que levem ovos guardo sempre no frio no máximo 3 dias...
    o leite é igual... se um pacote de leite passa 1 semana aberto no meu frigorífico vai direitinho pela pia abaixo... 1 semana depois de aberto sou incapaz de o beber!
    Mas deixa lá... recebuçados levam tantos conservantes que não se estragam assim... excepto se os deixares ao calor! :)

    ResponderEliminar
  2. ahahah

    Tá bom de ver que te deu uns que tinha guardados lá em casa...

    ResponderEliminar
  3. A sério... Que cena mais marada, eu psicologicamente já ficava super mal disposta..

    Espero que corra tudo bem :)

    ResponderEliminar
  4. Tem piada porque a minha familia que tenho lá para a suiça já por várias vezes que trazem esses chocolates fora de prazo???
    Será que eles fazem saldos de chocolates que estão a acabar os prazos e os Portugas toca de comprar para trazer para Portugal e nem reparam nas datas???
    Hum!!! Cheira-me que é isso.

    Jinhos

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...