20 de julho de 2012

hospitais

Quando em todos os telejornais o que mais se vê para além dos incêndios, Dio Mio, que tragédia, são os fechos de Hospitais... fico triste. Triste que fechem coisas importantes e construam estádios de futebol deixados às moscas. ( O de Leiria, Algarve, Aveiro...)
E dou graças de habitar a 10km dos Hospitais de Coimbra.

Dá-me nervos isto. Raios parta esta gente. Por favor, mexam-se, se há tanto enfermeiro e tanto médico desempregado, por favor façam ao menos Clínicas Privadas nessas cidades deixadas ao abandono. Com os preços médios e com a quantidade de utentes que vão ter, certamente vai compensar.
Existe quem vá pagar mais que 50€ de táxi e existem consultas mais baratas que 50€. Quanto vale uma vida humana? Só de pensar que a minha avó se visse aflita de um momento para o outro e nem sequer sabe marcar os nºs no telefone aperta-me na alma. 
Que governação é esta?
Que alternativas são estas?
Helicópteros para Vila Real? UM? Vai servir de quê se não pode arrancar  em dias de tempestade?
Tantas vezes que a própria estrada está cortada por causa da neve, nem as ambulâncias sozinhas são solução...
Eu já estudei uns meses em Bragança. E fiquei lá fins-de-semana porque a estrada estava cortada.

Deixa-me triste isso. Moro a 10km de Coimbra e o pai de uma amiga minha que mora a 8km morreu porque caiu de um degrau e não existiu tempo de socorro.

3 comentários:

  1. a mim preocupa-me que queiram lixar o direito à saúde (o Sistema Nacional de Saúde) que, apesar de tudo e todos os defeitos, era das melhores coisitas que este país ia tendo...

    quando nos chegar a moda dos EUA em que se não tens dinheiro, morres, pode ser que alguém se lembre...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Completamente de acordo Ju! Se chegarmos à moda dos States, muita gente paga a viajem para se vir cá operar... como os meus tios fizeram. beijinhos dear

      Eliminar
  2. Ainda ontem este tema foi discutido num jantar entre amigos cá em casa e um deles tinha uma teoria que não deve estar longe da realidade.
    Ele falou em selecção de pessoas ao estilo Hitler, mas sem ser tão óbvio... uma separação de classes... assim discretamente.
    Impossibilitam-se os pobres de terem acesso a cuidados de saúde eles morrem... vão sobrando as classes mais ricas, estatutos "superiores" (ainda gostava de saber o conceito de superioridade desta gente) prevalecem...
    Não vai estando longe da realidade não... até já incentivem os desempregados de Portugal a emigrarem... lol
    Mas basicamente concordo com a Ju do comentário anterior.
    Tristeza mesmo.

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...