8 de junho de 2012

auto-defesa

Gosto muito de uma série da Fox chamada Lei e Ordem: Unidade Especial. Fala especialmente de situações em que as pessoas e/ou famílias têm que mudar de lar e identidades, entre outros casos, e onde a maior parte delas sofreu uma violação física.
Fico sempre com um nó na garganta quando existem estes episódios. Violações de mulheres e de crianças é coisa para me deixar cheia de medo. Não sei o que faria, ou o que conseguiria fazer, se alguém me tentasse violar. 

Faz uns belos 4-5 anos, era eu estudante de arquitectura e trabalhava numa loja do shooping. Numa tarde decidi ir a pé para o Shooping para apanhar um solzinho e andar um pouco pois tinha tempo, eram 15horas. Na zona dos prédios habitacionais, todos eles tinham lojas no rés-do-chão e é quando um conhecido meu me chama do gabinete/imobiliária: "Maria! Tudo bem? Anda ver uns projectos novos que temos e tal". Eu entrei. Conhecia-o e aquilo era uma loja, porta de vidro e tal ...o que é que poderia acontecer? E é quando o gajo vai à porta, tranca-a e empurra-me contra a parede com um belo "eu sei o que é que tu queres".
Fiquei para morrer.
Empurrei-o, fiz a cara mais furiosa que consegui e disse que o meu namorado (que tinha), o ia partir todo. 
Agarrei a carteira do chão, abri eu a porta e saí. 
Não aconteceu nada mais violento que isso, mas eu senti-me muito mal, com nojo, e com raiva de mim própria por ter sido tão "burra". Enfim, acaba por não ser nada comparado com as pessoas que são realmente violadas por um ou mais homens, mas foi mau à mesma.

Eu, e todas as mulheres, deveriam aprender alguma técnica de auto-defesa. Ou no mínimo ter um spray pimenta na carteira. 

Deve ser das sensações mais horríveis pela qual uma mulher possa passar e é um dos meus maiores medos. 

7 comentários:

  1. Meu deus do céu... ainda por cima um conhecido. Que horror.

    ResponderEliminar
  2. Normalmente as violações são sempre perpetradas por conhecidos, e nas crianças por familiares, pessoas em quem elas confiam e que traem a sua confiança. Este é um tema que me horroriza, e volta e meia tenho que lidar com ele no meu local de trabalho. Prefiro mesmo fazer como a avestruz, meter a cabeça na areia e esquecer que há seres humanos piores que animais e capazes de tamanha nojice. Digo-te já que tiveste muita sorte, porque as intenções dele não eram pacificas, a tua sorte foi que reagiste de imediato e ele não contava, se te tivesses amedrontado estavas bem tramada:)

    ResponderEliminar
  3. Eu acho que lhe dava com a primeira coisa que tivesse à mão... e ainda voltava lá outra vez para lhe partir a loja toda! Horrivel teres que passar por uma situação dessas, mas importante foi ter corrido da melhor maneira para ti ;)

    ResponderEliminar
  4. Anónimo: Na altura fiquei abananada e não comentei com ninguém. Passado uns dias disse ao meu namorado e sei que ele depois foi-lhe por os pontos nos i's para nunca mais me tocar...

    ResponderEliminar
  5. Olá. Agora a reler a minha pergunta parece que foi em tom acusatório. Desculpa pois não era minha intenção. Foi curiosidade de saber como uma rapariga tão "despachada" lidaria com a situação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh nada disso! :) Mas é verdade, até as mais despachadas quando não estão à espera bloqueiam. Daí a importância de as mulheres deverem aprender a auto-defender-se,saber alguns passos. O homem pode até ter muita força (era o caso), mas o pontapé no sítio certo, um spray pimenta... sei lá... e contra mim falo que não tinha nada disso. Vá aparecendo, bom dia

      Eliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...