11 de abril de 2012

sentimentos

Tenho andado ausente do blog pois o trabalho tem sido a bombar (e quando aparece é tudo "para amanhã"), mas espero responder aos comentários e dar uma mirada pelos poisos habituais e mais alguns. 
E espero ainda ser hoje (depois de trabalhar mais um bocado).
Mas este dia foi imenso. Imenso mesmo... Desde uma perseguição e abordagem por um tipo que me sabia os passos desde ontem até um almoço de "corrida" com a amiga de infância que, depois de beber uma água ao almoço me diz que vou ter que lhe projectar o quarto para o bebé...
Acabámos as duas a comer alheira e peitos de perú com os olhos encharcados de lágrimas e narizes vermelhos e fungosos.

Uau... quando a nossa primeira amiga, a de infância, a de sempre, nos diz que está grávida e que somos a primeira pessoa a saber a notícia (extra família), o mundo pára e voltamos ao tempo em que comíamos o caule das flores amarelas enquanto íamos para a escola, a pé. 

5 comentários:

  1. é de facto algo especial...adorei a tua comparação com os dias de infância!

    ResponderEliminar
  2. Welcome back. Conta lá a história da perseguição...

    ResponderEliminar
  3. sabes que eu também comia com as minhas amigas, os caules das flores amarelas? Acho que lhes chamávamos azedas, e aquilo era refrescante, sabia a limão. Gostei deste teu relato sincero sobre o poder da amizade, e adorei que me levasses à infância:)

    ResponderEliminar
  4. As azedas! Já nem me lembrava disso! Também o fazia com as amigas...
    Felicidades para a amiga, e para ti, que vais fazer parte desta nova fase da sua vida.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. este post deu-me assim um sorriso bem feliz, fez-me lembrar há dois meses quando a minha melhor amiga me liga para o trabalho à tarde e me diz toda apressada que vai casar e que queria que fosse com ela escolher o vestido e lhe fizesse os convites:-) Eu estava a comer uma bolacha ate me engasguei, mas é mesmo boa esta sensação:-) beijihos e bom fim de semana****

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...