30 de março de 2012

uma Moedinha...


Por norma não faço caridade para com a maioria das pessoas que estão a pedir na rua. Arrumadores de carros, pessoas a pedir de cigarro na boca, pessoas que não aceitam um iogurte líquido ou um bolo e que querem é o dinheiro, pessoas a quem falta 1€ para o bilhete de comboio (sendo claramente visível que é mentira), miúdos mal-educados que andam atrás de nós para lhes dar-mos a moeda do carro das compras e as vendedoras de pensos.

Um dia eu e o my love fomos ao Pingo Doce de Celas e somos abordados por um ucraniano com um bom caparro que nos pede dinheiro. Nós dizemos que não damos e ele diz: "Vá lá que a segurança social só me paga o almoço...", e nós ficamos a olhar um para o outro com cara de "deve estar a gozar connosco"...
Nesse mesmo Pingo Doce, é usual ver uma senhora cigana bastante gordinha com duas filhas gémeas bastante obesas. Todas elas a pedir. As filhas pelo estacionamento e a mãe sentada à porta do mesmo. E quando arranjam algum dinheiro, invadem o Pingo Doce numa onda de algazarra por entre os chocolates, os bolos e as coca-colas. Eu pergunto-me se aquelas miúdas não deveriam era estar na escola. Pergunto-me o que é que será que comem pois quando digo que estão obesas, é obesidade mesmo não é serem "cheinhas". E, para ser sincera, pergunto-me se as miúdas não têm vontade de abandonar aquela vida, de "fugirem" e preferirem ir para uma casa de acolhimento, estudar, tentar não serem aquilo. Mas a verdade é que não parece que queiram e lá andam elas divertidas pelo parque de estacionamento.
Tal como já me aconteceu o episódio de ir ao Lidl e uma cigana me pedir dinheiro ou para me ler a sina. E eu disse que não. Com o meu não a mulher roga-me pragas, diz que vou morrer jovem etc. Bem, aquilo caiu-me mal que sei lá...
Tudo isto para dizer que hoje na Casa do Sal, no semáforo vermelho, vem um rapaz que não me diz nada e enfia-me isto (imagem), pela fresta da janela. Tal como com os outros carros. E aqui as pessoas até foram dando. Até eu dei. 


4 comentários:

  1. Dou a instituições, agora assim a vender cenas, não me parece que vá dar. No hospital também pedem para pagar os tratamentos, mas o que mete mais piada é que esses mesmos tratamentos são de graça.

    ResponderEliminar
  2. Inteligente foi ele, mas essas dos pensos e as ciganas são as que realmente me tiram do serio e sao estupidas todos os dias. Mas por acaso havia uma cigana no Lidl, que ficava a porta e quando as pessoas iam a entrar ela pedia para trazer alguma coisa pa ela comer, então as pessoas traziam. A parte que não tou a contar, é que ela não deixou de ser cigana abusada. Vira-se para mim olha menino tras-me um frango... mas calma estão a pedir ajuda e ainda escolhem o que eu quero dar ou não lol. Teve sorte que como estava a pedir comida, lá trouxe um pacote de arroz ou algo do género.

    agulhabairrista.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente protegemos e premiamos a preguiça e "finta" e não ajudamos quem vive honestamente. A vida está muito desequilibrada... :(

    ResponderEliminar
  4. Há uns anos, na rotunda da Casa do Sal e respectivos semáforos, andavam uns putos a lavar os vidros dos carros.
    Agora os ambientadores... Ainda não fui presenteada.
    PIor do que em Celas, acho que só mesmo no PD no Arnado...

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...