17 de janeiro de 2012

amoRes

Às vezes, atento mais aos amores e desamores que se passam aqui na blogesfera. Desde as desilusões, na sua maior parte, aos desgostos, às saudades, às paixões não correspondidas, até aos amores familiares, com crianças que gatinham e gatos no parapeito da janela. Aparecem muitas poucas histórias acerca de amor furtivo, de uma noite de paixão, de um "adeus e até um dia num outro hotel que sabe." Aparecem amores próprios e altruístas, "do só gosto de mim e do meu trabalho", aparecem os amores lésbicos, os homossexuais,  assumidos e outros escondidos. Alguns até escondidos por entre véus de casamentos e de esposas mal saciadas na cama. Outros parecem ser os casais fúteis até mais não. Se alguma vez existiu amor, parece ter ficado entre cabides de saldos e em baixa de preços. Essas pessoas, mesmo que quisessem ter um caso, teriam de se manobrar muito bem. São muito conhecidas. Talvez por vergonha, não aparecem amores múltiplos, daquelas que têm um namorado numa cidade e outro noutra e, talvez ainda um amante acolá. Mas eles existem, ohh se existem. Aparecem as deixadas, as traídas, as ingenuas, as duras e lutadoras. Aparecem (felizmente!) as felizes e as de bem com a vida. A minha relação pertence ao estilo do "amor cúmplice e bem-disposto". Tenho muita sorte em ter o homem que tenho. Apaixonado, vibrante, inteligente, forte, divertido... e maroto...bastante maroto. Tal e qual como eu gosto dele. Cheio de vida e de amor para me dar. Só a mim. 

4 comentários:

  1. E um homem como o teu é que tem de ser! O que importa é que vocês são felizes :D

    ResponderEliminar
  2. Para mim, sabe bem é quando é assim!
    "Apaixonado, vibrante, inteligente, forte, divertido... e maroto...bastante maroto. Tal e qual como eu gosto dele. Cheio de vida e de amor para me dar. Só a mim."
    E não podia ter dito melhor! =))

    Beijinhos *

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...