14 de dezembro de 2011

EmPregoS...

Anónimo disse...

u não vivo em Pt, mas quando leio ou ouço alguém dizer q 900 euros é 1 ordenado mt bom não deixo de ficar espantada... Como é bom?



Dear anónimo.
Infelizmente é a realidade em que se vive aqui. Onde 900 euros de ordenado já é com sorte. A maioria das pessoas recebe o ordenado mínimo. 480 € e picos e mais um coche para o subsídio de almoço. O escalão a seguir, ganha se tanto à volta dos 600-650€, e dos 900€ para cima já é difícil. Falo por experiência própria. Nunca o consegui alcançar sem que seja a ter dois empregos ao mesmo tempo, sendo um a dar explicações sem passar nenhum recibo. Pois. Infelizmente.
Muitas amigas minhas me dizem para ir ter com elas a França ou para a suíça, trabalhar num café ou a limpar hotéis. Sim, eu sei que ganham de 2000€ para cima. E se calhar (ainda) só não me sujeitei a isso porque o meu namorado não mostra interesse a ir pois senão já tinha ido. Talvez começasse por aí mas logo ia montar o meu business, nem que fosse a ensinar a crianças "tugas", nem que fosse mesmo em arquitectura ou, melhor, a fazer unhas de gel ou a dar numa de pasteleira de cupcakes. Logo me desenrascava, não sou de ficar à espera que as coisas caiam, aliás detesto essa filosofia de vida.
Se isto anda mal? Anda. Mesmo assim consegui abrir o meu próprio gabinete, tudo na legalidade, e agora compreendo porque é que as coisas não andam cá. É excessivo o peso das burocracias e o facto de ninguém se responsabilizar e investir seriamente nas coisas. E isso vê-se em pequenas coisas: o facto de pedir 10 orçamentos a empresas e apenas 2 me responderem, e o facto de me dizerem que me fazem uma montagem de placas a uma 2ª feira e chegarem apenas na 5ª. Infelizmente os portugueses não se livram destas justificações esfarrapadas para chegarem atrasados a tudo.
Quem é que ganha mais que 900 euros hoje em dia?...

Certamente, menos de 1% da população.

5 comentários:

  1. Se te dissesse onde trabalho, qual a minha profissão e te dissesse quanto ganho certamente não ficas boquiaberta por teres essa noção da realidade. Sim, ganho mesmo menos de 900€ e o que mais importante é estar estável. Hoje em dia, só por isso já é um luxo, quanto mais dizer que recebo os subsídios não é? Hoje a realidade deste país é essa mesma, infelizmente. Mas tenho esperança de que isto vá ao sítio, tenho mesmo esperança.
    beijinho

    ResponderEliminar
  2. Fui eu quem escreveu o comentário a que se refere.
    Não o escrevi com a intenção de ser rude, apenas me espanta que em PT ainda se continuem a pagar ordenaos miseráveis tendo em conta os preços praticados. É incomportável. E sei que há muita gente a receber menos de 500 euros, não ando a dormir.

    No entanto, quando ainda aí vivia tive a sorte de trabalhar em part time e de ter 1 salário que rondava 1.500 euros.

    E não estou em França, nem Suiça, nem Inglaterra nem na Holanda a apanhar tomates, nem a servir à mesa nem a trabalhar num hotel nem na construção civil. Vivo num país nórdico e tenho 1 trabalho normal e bom, não o tipo de trabalho que se acha (e por vezes até se espera) que os imigrantes tenham.

    Essas ideias não correspondem à realidade, mas não sei porquê continuam a gostar de pensar assim.

    Boa sorte com as entrevistas e + 1 vez reitero que não quis ofendê-la.

    ResponderEliminar
  3. minha srª ou senhor. Não tomei o post como ofensa :) Não era a minha intenção, desculpe-me se me exaltei. Mas exalto-me mesmo porque fico mesmo triste com a realidade. (triste mesmo...), uma pessoa quer fazer família e ter uma vida boa e...é dificil. Tenho mandado currículos para a Dinamarca, lá acho que ia "ser feliz". Fico contente que esteja num emprego que goste, ao menos é bom saber que existem pessoas que alcançam os seus objectivos e se sentem realizados. Como lhe falei - da Dinamarca - sei que são o país onde se paga mais importos mas, em contrapartida, têm bons lares de idosos, atendimento hospitalar etc. E, ninguém fica desempregado muito tempo. Se a alguém desempregado surgir uma vaga mesmo que num trabalho qualquer, a pessoa tem que aceitar senão perde o subsídio. infelizmente isso aqui não é assim, e chagam-me a aparecer pessoas que só querem o papel assinado não querem ser admitidos. É muito triste esta realidade.
    Olhe espero que passe por aqui mais vezes e desejo-lhe todo o sucesso, pois coragem já teve em ir para fora. Beijinhos *

    ResponderEliminar
  4. Não se exaltou, não pense isso =)

    Não estou na Dinamarca, mas aqui nesta zona os países praticam + - todos a mesma política.
    Sim, os descontos são grandes, mítioas sao bem empregues.
    Até 1 simples estágio (aqui caso a pessoa esteja desempregada pode estagiar durante 1 ano em qualquer local) paga quase 700 euros, ridículo quando se pensa no ordenado minímo português.

    Quando vim para cá, quase há 6 anos, vim com a intenção de continuar a estudar - na altura já era licenciada - visto cá existir dos melhores ensinos europeus (e também gratuito).

    Fui ficando, e a minha vida agora é aqui.
    A mentalidade de um povo tem tudo a ver com as políticas existentes num país.

    Tenho tido muita sorte, mas que ningué pense que é fácil e rápido arranjar-se trabalho.

    Espero que a sua vida se torne mais simpática.
    Viviana

    ResponderEliminar
  5. infelizmente é uma triste realidade do nosso país...recebemos pouco e o pouco que recebemos é para pagar combustível, portagens, alimentação, gás, luz, água...e tudo e tudo! e o que sobra? pois...

    ResponderEliminar

Diga, diga, sou toda "ouvidos" !

Ocorreu um erro neste dispositivo

quem cá para...